Loading...


O laboratório Cristália, maior indústria Farmacêutica, Farmoquímica e de Biotecnologia de capital 100% brasileiro, é o apoiador do evento Alzheimer, é possível, que tem como objetivo estimular pacientes e cuidadores a identificar precocemente a doença e a aderir ao tratamento. Estima-se que atualmente a enfermidade atinja cerca de 1 milhão de pessoas no Brasil. Promovido pela Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAZ), o evento é voltado a médicos, parentes e cuidadores dos pacientes e será realizado no próximo dia 3 de outubro, às 19h30, no Tom Brasil (Rua Bragança Paulista, 1281), em São Paulo.

Na ocasião, alguns dos maiores especialistas em Alzheimer no Brasil falarão para a plateia. Haverá palestras da psicóloga Fernanda Gouveia-Paulino, Doutora e Mestre em Psicologia Clínica pela PUC-SP e coordenadora da Virada da Maturidade; e do presidente nacional da ABRAZ, Dr. Rodrigo Schultz. Doutor e Mestre em Medicina pela Unifesp, Dr. Rodrigo é Professor Titular de Neurologia da Unisa e Presidente do Núcleo de Envelhecimento Cerebral da Unifesp.

Durante as apresentações, o Cristália formalizará a entrega de 10 mil DVDs produzidos pela ABRAZ. Intitulado Alzheimer, é possível, os DVDs são um conjunto de seis mini vídeos inspiradores, que abordam temas importantes para favorecer a adesão ao tratamento em demência: É possível identificar; É possível aceitar; É possível conviver; É possível receber apoio; É possível medicar; e É possível agir. “Fruto de ampla pesquisa envolvendo diferentes públicos ligados ao cuidado de pessoas com Doença de Alzheimer, os vídeos contam com a participação de quem aprendeu a lidar com as adversidades e descobriu alternativas e possibilidades de enfrentamento”, resume a psicóloga Fernanda Gouveia-Paulino, responsável pelo trabalho de pesquisa que resultou na coletânea.

De acordo com o presidente da ABRAZ, Dr. Rodrigo Schultz, a informação de qualidade é a chave para o bom cuidado. “Assim, as famílias ficarão mais atentas aos sintomas e mais alertas, o que permitirá o encaminhamento ao médico assim que algum sintoma preocupante seja percebido, aumentando o número de diagnósticos precoces da doença de Alzheimer”, explica, acrescentando que a doença, quando diagnosticada, muda completamente a vida do paciente e de seus familiares. “Processos de adaptação relacionados à rotina do paciente, tratamento e cuidados devem ser tratados com máxima prioridade por parte de todos os envolvidos. É uma doença que não tem ainda cura. O que pode ser feito é a redução de sintomas”, ressalta o presidente da ABRAZ.

O Cristália vem buscando produzir medicamentos que sejam largamente utilizados pelos brasileiros, permitindo o acesso dos pacientes, inclusive por meio do Sistema Único de Saúde. O laboratório já produz e disponibiliza o Lábrea (cloridrato de dopenezila), um inibidor de acetilcolinesterase, medicamento utilizado em todas as fases da Doença de Alzheimer.  E agora se prepara para colocar no mercado o ALZ (Memantina), utilizado nas fases moderada e grave da doença. “Temos o compromisso não apenas de investir em pesquisa, para dar acesso aos pacientes de Alzheimer à medicação de ponta, melhorando sua qualidade de vida, bem como participar de campanhas de conscientização, prevenção e diagnóstico precoce de doenças, como o trabalho realizado pela ABRAZ”, finaliza Dr. Ogari de Castro Pacheco, presidente do Conselho Diretor do Laboratório Cristália.  

Compartilhe