Loading...

O Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) é a alma de um medicamento. O Brasil ainda tem que importar a maior parte dos IFAs necessários à produção de remédios porque, para produzir um insumo de última geração, é preciso ter tecnologia de ponta, controle de qualidade e anos de investimento em pesquisa científica.

Desde sua fundação, o Cristália estabeleceu como meta nacionalizar a produção de fármacos, permitindo maior acesso da população brasileira às novas tecnologias em saúde. Mas essa história começou há cerca de 35 anos, quanto todos os IFAs produzidos no Brasil ainda eram importados.

Aposta na ciência nacional

Em 1983 a empresa apostou, pela primeira vez, na produção da IFAs. Naquele ano, deu início a novas atividades em uma pequena planta Farmoquímica instalada em Valinhos  (SP).  Em 1987 a unidade foi transferida para Itapira. Com novos investimentos, passou a produzir um número cada vez maior de IFAs para abastecer à Farmacêutica Cristália.

Hoje a Farmoquímica Cristália ocupa uma área de cerca de 8, 8 mil m² e está instalada no Complexo Industrial de Itapira. Dezenas de IFAs são produzidos nesta planta industrial. Além de serem utilizados na produção de medicamentos do laboratório, também são comercializados para outras indústrias farmacêuticas nacionais e internacionais.

Certificações que garantem a qualidade

É na Farmoquímica Cristália que 53% dos IFAs utilizados na fabricação dos medicamentos do Laboratório são produzidos, o que representa um marco importante no desenvolvimento de IFAs no âmbito nacional, seja na geração de moléculas inovadoras ou de farmoquímicos estratégicos.

A Farmoquímica Cristália possui Certificado de Boas Práticas de Fabricação concedido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para um portfólio de 37 produtos.

Farmoquímica

Mercados globais atestam qualidade de insumos

Exemplos de produtos inovadores introduzidos pela Divisão Farmoquímica e com patentes concedidas nos Estados Unidos, Europa e Ásia são: Sevoflurano estabilizado com propilenoglicol, S-cetamina, Novabupie, Helleva, cujo princípio ativo é o carbonato de lodenafila, a primeira molécula de origem sintética concebida e desenvolvida integralmente por um laboratório nacional.

O Cristália produz e fornece produtos IFAs, de acordo com os padrões de referência das farmacopeias vigentes em cada país, ou seja, nos Estados Unidos pela USP (United States Pharmacopeia) e nos países da Europa pela EMA (European Medicines Agency).

Farmacopeia internacional

Outros destaques ficam por conta de padrões fornecidos às farmacopeias internacionais, dentre os quais se encontram a ropivacaína e as impurezas A e B, o sufentanil, droperidole e enantato de flufenazina. Isto significa que qualquer empresa que pretenda produzir medicamentos à base dos ativos citados deve fazê-los comparando-os com os padrões produzidos pelo Cristália.

Dessa forma, o Laboratório exerce papel importante no desenvolvimento de moléculas estratégicas e também inovadoras, o que o torna referência no âmbito farmacêutico nacional.

Centro de Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação

Este intenso processo de crescimento gerou a necessidade de criação do Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I), que foi inaugurado em setembro de 2009 na Unidade I, em Itapira, com investimentos de US$ 15, 5 milhões.

Inovação indústria farmacêutica

Conheça aqui o Centro de PD&I do Cristália.